You are currently browsing the category archive for the ‘SENTIMENTOS’ category.

Estou de casa nova. Convido a todos para uma visita.

www.jeffwendell.com.br

Fiquem à vontade e aproveitem as palavras!

🙂 ❤

Abrir os braços para nos conhecer

Abrir os braços para nos conhecer

Será que realmente nos conhecemos?
Será que as nossas verdades são realmente a realidade da vida e do homem?
Será que o que chamamos de paz com o corpo e alma de fato é a paz que precisamos?
Será que conhecemos os valores reais das nossas vidas?
Talvez, não sei, em partes ou uma dessas partes.

Você pode atravessar o mundo,
E muitas vezes não se dar conta que na verdade está atravessando os hemisférios das verdades que a vida nos proporciona.
Mas, que cabe a nós a escolha que queremos seguir.
Que com certeza transcenderá um pouco, muito ou tudo sobre nós.

Onde chegaremos com nosso autoconhecimento ?

Onde chegaremos com nosso autoconhecimento ?

E de repente,
O que pode ser, se torna em um novo mundo de opções ou o verdadeiro mundo de opções que temos em nossas mãos.

Se deixe perceber mais sobre seu corpo, sobre seus limites, ou mais sobre o que deve aprender sobre ele.
Se deixe descobrir mais sobre sua alma e o que de fato lhe traz paz, lhe arrepia, lhe recarrega as forças do coração.
Conheça um pouco mais sobre a simplicidade, pureza, amor, respeito, doação, espiritualidade e tantas outras energias que podem te cercar, que você pode compartilhar e aprender sobre você.

Como sabemos tão pouco sobre um todo que reside em nosso corpo e alma.
Como sabemos pouco sobre as transversais da alma, e o quanto temos que fazer para podermos evoluir.
Como sabemos pouco sobre nosso corpo e o que de fato ele precisa para partilhar de uma vida mais saudável com mais equilibro e com uma energia mais pura.
Como temos que aprender e rever sobre o nosso próprio equilíbrio.

Continue lendo »

Como nos revelamos,
quando sentados sozinhos em meio ao nosso silêncio.
Como descobrimos o quanto somos frágeis,
quando vemos a noite cair em um céu moldado de forma quadrada e sem curvas para desfrutar-mos.

Como somos capazes

Como somos capazes

Como sentimos falta do nada que preenche o vazio que nos invade nestas noites repetitivas.
Como somos solidários a nós mesmos e deixamos as lágrimas nos consolar por uma coisa sem definições.
Como somos cheios de respostas,
quando não temos para quem responder.
Como nós, seres humanos, somos receptíveis ao pouco que nos dão,
quando o nada é tudo que temos.
Como somos fortes em transformar a dor em alegria,
quando não existe mais outros caminhos para persistirmos por algo.

como somos capazes de sonhar

como somos capazes de sonhar

Como o mundo, que já deu tantas voltas, sempre está nos oferecendo uma nova chance,
quando achamos que os nossos sonhos “hipotéticos” se esvaeceram e se machucaram no tempo.

Continue lendo »

Abra a porta, não importa.
Abra a janela, ou a varanda.
Preciso olhar nos teus olhos,
para que você veja que é sincero,
Forte e importante.

Ensinem me a amar

Ensinem me a amar

Não posso,
não quero te afastar,
não sei como sobreviver sem você.
Mas…
Preciso te dizer não.

Entre linhas,
entre arranhões e arremessos sem direção.
São as mil coisas que preciso compartilhar com você,
Não posso sem você,
nada disso ou tudo isso vale a pena.
Mas…
Não encare este não como o fim de tudo,
porque nada existiria se o motivo não fosse você.

Vamos,
Me deixe entrar,
Sentir sua reação,
reagir com você,
dividir com você,
sorrir e chorar,
descartar e encantar com a verdade.
Não se esconda de mim.
Não é o momento de jogarmos,
nem de desorganizarmos o que está arrumado,
pois a bagunça agora tem seu lugar.

Vamos,
quero estar ai na hora,
no segundo,
no minuto que você descobrir.

Quero invadir este deserto,
beber todo o oceano,
voar em rasantes por todo céu azul,
sonhar com arco-íris,
Iluminar caminhos,
acabar com as escuridões,
quero fazer mais que tudo isso,
mas quero que seja com você.
Sem você não saberei viver com a intensidade,
que cada momento deste merece.

Meu coração, seu coração

Meu coração, seu coração

Quero te dizer,
mesmo não sabendo como,
que NÃO.

Não sei viver sem sua amizade,
Não sei viver sem seus conselhos
Não sei viver sem seu silêncio,
Não quero dar mais nenhum passo sem você,
Não quero dividir com outro,
que não seja você,
Não sobrevivo mais sem seu amor,
Não respiro, suspiro, sem que seja o seu ar,
Não viajarei, se não for em suas asas,
Não descobriei o mundo, se minha casa, meu aconchego, minha sustentação
não forem você.

Quero te dizer NÃO,
Mas não sei como, ou com qual intensidade.
Mas sei que preciso que você escute com o coração:
NÃO me deixe.
NÃO desista de mim.
NÃO deixe que seus sonhos sejam preenchidos por outro coração,
que NÃO seja o meu.

A arte de amar alguém

A arte de amar alguém

Além de qualquer sim, quero também ser seu não.
Quero ser seu por completo
e quero que o sempre não seja pequeno para a eternidade do meu amor por você.
Agora, me olhe,
não apenas me veja,
me escute,
não apenas me ouça,
me sinta,
não apenas me toque,
me respire,
não apenas me cheire.

NÃO serei apenas o encaixe que falta.
Serei toda e qualquer peça que esteja faltando em seu quebra cabeça.

Entre todos os “SIM” serei o “NÃO” mais precioso.

Eterno

Eterno

 

Como perceber os limites do ser humano?

Difícil entender e agir com pessoas diferentes,
em situações diferentes.
Difícil julgar as 1001 reações distintas,
quando os indivíduos vivem cada um o seu momento,
e estão em passos mais longos ou mais lentos.
O que realmente é dificil é, em primeiro lugar,
entender os nossos próprios limites.
Pois, como seres humanos, somos
também suceptíveis às consequências dos nossos
próprios limites.

...o limite de todos...

…o limite de todos…

Acredite,
o primeiro passo para lidar com essas divergências,
e com diversos mundos
é o mais simples ato,
e um dos mais antigos sentimentos,
o respeito.

Respeito,
para, em primeiro lugar, compreender o terreno que pisa.
Respeito,
para, no segundo momento, saber como lidar com aquele que faz parte do seu convívio.
Respeito,
para saber como trilhar caminhos de paz e harmonia,
conquistar os passos sonhados,
e assim dar as mãos para aqueles que te segue,
ou caminham ao seu lado.
Sim, realmente,
com respeito,
se conquista mais,
evolui e aprende mais.

Onde estão nossos limites?

Onde estão nossos limites?

Os limites do ser humano são uma verdadeira fábrica,
repleta de peças,
repleta de fases de montagem,
cheia de cuidados e muita atenção.

Continue lendo »

De onde tiramos nossa força?
Como conseguimos construir barreiras?
Escadas?
Trampolins?
Como conseguimos carregar
e recarregar essa energia que nos move
e nos faz acreditar?

Que força é essa?

Que força é essa?

Como lidar com essa máquina,
que tem como bateria o nosso próprio coração?
Como acreditar que com ela
somada a outras inúmeras qualidades,
emoções e razão
podemos vencer,
reconquistar,
brilhar,
e continuar de pé em nossas batalhas?

Muitas e muitas vezes
duvidamos da sua existência,
duvidamos da credibilidade dessa força,
quando não a julgamos culpada por nossas derrotas,
ou a acusamos por nos abandonar.

Essa força,
em muitos momentos estranha,
é aquela a mesma que faz nosso sorriso brilhar,
nossa voz ganhar vida,
que nos faz arriscar um pouco mais,
que não nos deixa solitários em meio a tempestade.
É a mesma que nos dá a mão,
que nos envolve nos momentos de dor,
nos apresenta a nós mesmos e a todo o nosso potencial.

Essa estranha força que nos move.

Essa estranha força que nos move.

Essa é a força que nos faz acreditar, que com ela:
podemos ser vitoriosos,
podemos sonhar mais alto,
podemos fazer algo mais por todos que nos cercam,
podemos ser justos,
podemos viver nossas alegrias.

Continue lendo »

Coisas que tinha para te dizer.

Certos dias acordamos cheios de pensamentos,
lembranças e dúvidas sobre o que conversamos,
ou deixamos para dizer depois,
para as pessoas certas
e exatamente para aquelas pessoas,
que de alguma forma,
precisavam ouvir o que não foi dito.

No dia seguinte,
lembramos,
mas ao mesmo tempo esquecemos,
perdemos a própria compreensão
do grande e importante valor destas palavras,
que deixamos para um momento depois,
que muitas vezes não vai mais existir.

Silêncio nas palavras

Silêncio nas palavras

Acredito que a simples palavra não dita
Teria, naquele momento, resolvido as imprudências da vida,
ou acalmando um coração amargurado.

A facilidade do esquecimento,
do deixar para depois,
das palavras não ditas,
possuem um peso incalculável quando descobrimos,
lá na frente,
que tudo poderia ter sido diferente,
que poderíamos ter mudado o curso de alguma história,
que poderíamos ter cedido à experiência
e em poucas sílabas ter criado o mais belo discurso
da amizade,
da força,
da fé,
da paixão e compaixão.

Este é o momento de dizê-las

Este é o momento de dizê-las

Se chegou o momento de dizer algo para alguém,

Continue lendo »

Quantos são os momentos quando nos cobramos?
Que nos perguntamos onde ela está,
o que precisamos fazer para alcançá-la,
ou, porque ainda está tão distante?
Ou ainda: por que me sinto infeliz?

milhares de perguntas e a prisão da infelicidade

milhares de perguntas e a prisão da infelicidade

As dificuldades,
obstáculos,
a nossa fragilidade momentânea nos revela,
nos entrega
e nos compromete com nossa própria ansiedade.
Nos perturba com perguntas
e com uma verdadeira falta de paciência.

A felicidade
é uma jóia lapidável,
um jarro de barro ao alcance de nossas mãos,
um círculo de nossas próprias ações.
Se complicarmos, nos afastamos.
Se simplificarmos, perdemos o sabor da conquista.
Então o porquê de tanto desespero?
Pode ter certeza
que esta é uma resposta muito difícil e individual para todos nós.
Não adianta tentarmos fazer diferente,
pois a diferença já é a própria felicidade.

felicidade - uma busca constante

felicidade - uma busca constante

Que tal tentarmos viver intensamente cada passo dado?
Assim, saborear e aprender com cada conquista,
com cada vitória, com cada erro,
com cada derrota.
Construindo o caminho certo,
Com linhas tortas, quando necessário,
com linhas retas, quando possível,
mas sem pressa,
sem duvidar de que podemos encontrar tal felicidade.

Quem sabe assim as respostas surjam com o céu estrelado,
Quem sabe o que te consome se desfaça nas ondas do mar,
Quem sabe seu caminho se revele com novas fragrâncias de um aprendiz,
Quem sabe você possa voar mais alto com uma maior confiança em si mesmo,
Quem sabe você passe a duvidar menos de si mesmo,
Quem sabe as janelas se fechem, mas as portas se abram,
Sim, quem sabe?

Continue lendo »

Me fizeram de fantoche,
me tacharam de astronauta,
rediscutiram minha existência,
despedaçaram meus sinais vitais,
brincaram de louco e perseguido,
me aprisionaram em minha verdade.
E ainda, sem perder tempo,
questionaram minha própria vontade.

Questionaram minha própria vontade

Questionaram minha própria vontade

Enfim, virei personagem de filme,
palavra no dicionário proibido,
erva venenosa,
e a estrada errada do caminho.
Arrancaram de mim, minha privacidade,
e meu tempo.

Virei questionamento,
desejando ser sonhos,
virei impureza,
desejando ser flores,
virei indesejável,
quando meu único desejo era ser respeitado.

Respeito

Respeito

Mas como assim?
Invadiram meu mundo e me bloquearam,
me rasgaram por dentro.
Quem tem esse direito agressivo da invasão,
sem ao menos tentar?
Sem perdoar?
Sem acreditar?
Sem dar a merecida chance à vida?
Acredito, que ninguém.

Agora preciso limpar meu espaço,
acolher meu mundo,
proteger meus sonhos,
me blindar de força e verdades.

Acreditar em mim,

Continue lendo »

Queria conversar com você sobre suas dúvidas.
Quais dúvidas?!
Aquelas que te deixam enfraquecer e chorar no final do dia,
as duvidas que te tiram as esperanças
e que lhe faz questionar sobre si mesmo.
Sem pedir licença
e muito menos, sem pedir desculpas.

Muitas são nossas dúvidas...

Muitas são nossas dúvidas...

Elas existem sabia?
Elas estão bem perto do teu peito,
enfraquecendo sua alma,
tirando sua coragem,
e apagando tua luz.

Respire,
bem fundo.
Agora, tente acreditar:
Você precisa lhe permitir,
você precisa ser ajudada,
você precisa deixar esta porta se abrir.

Feche os olhos.
Agora tente.
Acredite,
você pode conseguir muito mais do que você imagina.

A dúvida - Misha Gordin

A dúvida - Misha Gordin

Se existe força suficiente?

Continue lendo »