You are currently browsing the monthly archive for maio 2012.

Quando olho em seus olhos,
vejo meu próprio caminho,
vejo meu destino traçado em linhas paralelas as tuas.
Me sinto completo,
ou incompleto,
por ver em você pedaço de mim.
Através das cores e reflexo do que vê,
consigo entender o que devo de fato olhar,
o que devo de fato dar carinho e atenção,
pois através de você vejo e sinto o paraíso
que este amor pode ofertar.
Com este olhar tenho a chance de conquistar o mundo,
ou perder tudo,
se em lágrimas ou sorrisos,
transformá-lo em dor.

O olhar que defini...

O olhar que defini…

Se olho um passo a frente,
corro riscos, se olho com cautela,
posso perder oportunidades,
mas se deixo de olhar,
me oponho ao sentido da vida,
de perder ou ganhar,
e assim aprender as lições mais importantes.

Enfim, para cada olho mágico,
uma paisagem,
uma cor,
um sentimento.
Para cada luneta o brilho diferente das estrelas,
suas constelações
e as possibilidades de observarmos sua cadência.
Mas se falamos dos óculos,
estamos prestes a entender nossas fraquesas,
além disso, enxergarmos o melhor ou o pior da realidade da vida.

as cores, a paixão...

as cores, a paixão…

Mas quando os olhos nos olhos
trazem paixão e compaixão,
trazem sabedoria e compreensão,
o mundo sobrevive, e consegue se levantar.
Pois os olhos nos olhos dão as mãos,
em prol de um mesmo sonho,
de uma mesma conquista.
E assim, a humanidade ganha forças.

Continue lendo »

Anúncios

Como perceber os limites do ser humano?

Difícil entender e agir com pessoas diferentes,
em situações diferentes.
Difícil julgar as 1001 reações distintas,
quando os indivíduos vivem cada um o seu momento,
e estão em passos mais longos ou mais lentos.
O que realmente é dificil é, em primeiro lugar,
entender os nossos próprios limites.
Pois, como seres humanos, somos
também suceptíveis às consequências dos nossos
próprios limites.

...o limite de todos...

…o limite de todos…

Acredite,
o primeiro passo para lidar com essas divergências,
e com diversos mundos
é o mais simples ato,
e um dos mais antigos sentimentos,
o respeito.

Respeito,
para, em primeiro lugar, compreender o terreno que pisa.
Respeito,
para, no segundo momento, saber como lidar com aquele que faz parte do seu convívio.
Respeito,
para saber como trilhar caminhos de paz e harmonia,
conquistar os passos sonhados,
e assim dar as mãos para aqueles que te segue,
ou caminham ao seu lado.
Sim, realmente,
com respeito,
se conquista mais,
evolui e aprende mais.

Onde estão nossos limites?

Onde estão nossos limites?

Os limites do ser humano são uma verdadeira fábrica,
repleta de peças,
repleta de fases de montagem,
cheia de cuidados e muita atenção.

Continue lendo »