Existem formas,
existem sonhos,
existem pessoas que mudam,
pessoas que circulam,
gestos que renovam,
existem perguntas e respostas,
existem um pouco mais e um pouco menos do mundo.

Pela janela,
observamos os sonhos.
Do lado de fora,
vivemos.

Um pouco mais e um pouco menos do mundo

Um pouco mais e um pouco menos do mundo

Uma curta distância,
porém uma das mais difíceis estradas.
Um passo curto repleto de cuidado,
um braço esticado cheio de receio.
Ou seja,
uma longa curta distância.
Um mar inteiro rumo a um pequeno rio.
Um céu inteiro para chegar até a ponta do arco-íris.
Um sonho, que pode representar toda uma vida.

Uma distância longa,
mas na verdade o caminho certo da felicidade, ou não?
Um passo curto para garantir um sonho inteiro de boas risadas,
um aperto de mão como gesto de segurança.
Ou seja,
Um pequeno rio, de águas limpídas e puras para nos banhar,
Umas poucas nuvens escuras, para ter um azul limpo e cheio de energia,
O verdadeiro sonho de vida.

os passos do destino

os passos do destino

Observar e viver,
é na sua grande maioria, a decisão,
o momento de escolhas,
a definição de como encarar a vida,
e fazer dela um festival de felicidade.

Admirar e acreditar,
é o passo de transição do que quero
para o que posso.

pelas janelas, as observações

pelas janelas, as observações

O mundo, da nossa janela,
é visto como colorido,
batizado pelos pássaros,
adorado pelas brisas,
desejado pelos homens.

o mundo ao alcance de nossas mãos

o mundo ao alcance de nossas mãos

Mas este mesmo mundo, do lado de fora,
possui muito do preto e branco,
reflete muito o silêncio das dores e dificuldades,
muitas vezes é seco e úmido, sem tantas refrescâncias,
e é amargamente disputado pelos seres humanos.

A verdade é
que para atravessar uma estrada como essa
é necessário viver horas, dias e anos de observação,
para enfim, conseguir escolher, decidir o caminho.
Pois outras verdades aparecerão,
e para atravessar este novo caminho
é necessário anos e décadas de muita luta
para chegar à ponta do arco-íris.
Pois ao chegar lá,
somente quando chegar lá,
saberemos o porque
dos momentos de reflexão no vazio da janela,
e dos outros diversos de vivência do lado de fora dela.

E asssim,
saberemos,
descobriremos um pouco mais sobre nós mesmos.

Hoje, fecho minha janela,
estico a cortina de renda,
apago a luz,
e saiu pela porta da frente.

Amanhã,
só amanhã,
pois já estarei do lado de fora.

by Jeff Wendell

Anúncios