Me fizeram de fantoche,
me tacharam de astronauta,
rediscutiram minha existência,
despedaçaram meus sinais vitais,
brincaram de louco e perseguido,
me aprisionaram em minha verdade.
E ainda, sem perder tempo,
questionaram minha própria vontade.

Questionaram minha própria vontade

Questionaram minha própria vontade

Enfim, virei personagem de filme,
palavra no dicionário proibido,
erva venenosa,
e a estrada errada do caminho.
Arrancaram de mim, minha privacidade,
e meu tempo.

Virei questionamento,
desejando ser sonhos,
virei impureza,
desejando ser flores,
virei indesejável,
quando meu único desejo era ser respeitado.

Respeito

Respeito

Mas como assim?
Invadiram meu mundo e me bloquearam,
me rasgaram por dentro.
Quem tem esse direito agressivo da invasão,
sem ao menos tentar?
Sem perdoar?
Sem acreditar?
Sem dar a merecida chance à vida?
Acredito, que ninguém.

Agora preciso limpar meu espaço,
acolher meu mundo,
proteger meus sonhos,
me blindar de força e verdades.

Acreditar em mim,

sem olhar para trás, seguir em frente,
seguir as minhas escolhas,
lutando para alcançar os melhores dias e noites.
Encontrar a felicidade
e acreditar em seu círculo de energia em minha volta.

Minha energia

Minha energia

Esta invasão não faz sentido,
não tem sentido.
Estamos diante de uma rua sem saída, escura e fria,
que aprisiona e esconde o que deve ser livre.
Por isso deixo para estes carcereiros,
o meu respeito,
a minha pena,
e a minha torcida,
para que a evolução possa alcançar seus corações.

Porque uma coisa eu estou certo,
lá na frente,
o sol não alcançará mais esta rua sem saída,
mas irá brilhar em meu horizonte,
e com ele renascerá o meu sorriso,
de conquista,
felicidade e crescimento.

Minha felicidade!!!

Minha felicidade!!!

Saiu hoje invadido,
com as portas fechadas,
cheio de medo e com as pernas trêmulas.
Mas ainda tenho forças,
e vou conquistar mais, se necessário,
para seguir em frente e lutar.
Vou traçar meu destino,
e sei que posso torná-lo belo e vitorioso.
e vou conseguir.

Não estou perdido,
pelo contrário,
encontrei meu verdadeiro eu,
encontrei o que estava preso em sonhos discretos,
e agora vou vivê-los,
vou desfrutar do meu livre arbítrio,
e escrever esta história.

Mas deixo um mapa,
que antes era só meu,
com o meu aroma,
com toda a minha alegria,
para, quem sabe um dia,
se a escuridão se for,
e uma passagem se abrir na rua sem saída,
os meus carcereiros possam me encontrar,
e comigo dividir o sorriso
que estará habitando em mim.

Um dia haverá o perdão

Um dia haverá o perdão

Assim, quando este frio passar,
as lágrimas não mais fizerem parte do meu rosto,
o sol nascer intenso,
estarei lá para recebê-los
e perdoá-los pela invasão de hoje,
e pelo tempo que iremos perder de estarmos juntos,
por conseqüência da incompreensão,
e pela falta de fé no amor sem conceitos e pré-conceitos.

by Jeff Wendell

Anúncios